Editorial_90
Editorial
Companhia Ferroviária São Paulo-Paraná – Ourinhos, 1940 - Coleção José Carlos Neves Lopes
Ferrovias e associações esportivas
Em pé (da esq. para a dir): Helinho Mariano (Helinho Mãe Preta), Mica, Alcides, Chiquinho, Hélio Oliveira, Léo; agachados: Pavanelli, Bebé, Miguelzinho, Binotto e Camarguinho - Coleção: Luiz de Camargo
Nos “trilhos” do futebol
Uma das primeiras formações do FAI com seu uniforme tricolor. Em pé (da esq. para a dir.): Zé Luiz, Ditinho Venâncio, Pelé Sabiá, Arcílio Bragagnolo, Zé Cláudio e Antonio Teixeira; agachados: Bê, Nenê Tati, Bilo, Valim e Chiquinho - Arquivo: Campo&Cidade
Retorno ao futebol profissional
Equipe do CAI na final no Pacaembu em 1955 contra a Santacruzense - Coleção: Carlito Lorenzon
Engano histórico
Capitão Zé Carlos (penúltimo, da esq. p/ dir.) com o grupo de mãos dadas num dos jogos decisivos de 89 - Luiz Augusto Gazzola
Ano de 1989 foi um divisor de águas
Professor Teixeira, em foto recente em frente ao Estádio Dr. Novelli Junior, em Itu - Tucano
Teixeira e as ligações com Itu
Vander Luiz no estúdio da rádio Jovem Pan - Eduardo de Carvalho Mainardi
Bastidores do acesso
Duas décadas após ser lançado no Ituano, Juninho Paulista assumiu, em 2009, o cargo de gestor do Galo Rubro-Negro - Pablo Rey / Divulgação
O (pequeno) grande ídolo
Surgimento do Galo tem várias versões - Renê de Francisco/Arquivo Chiquito Pezzodipane
Paixão em símbolo e música
Após iniciar a carreira em Itu, (foto em destaque) Richarlyson consagrou-se no futebol defendendo o São Paulo - Arquivo: Foto Visão / Matheus Bosco
“Crias” do Galo
Major Vieira foi quem iniciou as parcerias no Ituano - Moura Nápoli
Gestão e complicações
Medalha do título paulista deste ano, desta vez com a presença dos grandes clubes - Ivan Valini
Títulos e reconhecimento
Markinho, do São Bento, após fazer o gol que decretou o acesso do São Bento neste ano - Emídio Marques
Luta pela sobrevivência
Equipe do FAI em 1976, numa partida em que teve apenas dez em campo. Em pé (da esq. para a dir.): Darcy Barbieri (Bolinha), Valdir Sório (Tatu), Mario Teixeira, Valdir Guidini e Valdemar Borges; agachados: Rubinho, Romeu, Pelé Martins, Carlinhos Ferrari e Júlio Fragnani - Coleção: Valdir Sório
Guardiões dos estádios
Equipe do Juvenil do Botafogo, em 1950, no campo do Carmo, que existia nos fundos da igreja. Em pé (da esq. para a dir.): Oswaldo, Nerito (Camarão), Isaltino, Milton, Nilson, Liquinho (capitão), Mica, Ailton Volponi (Frangão), Xexa e Sargento; agachados: Macalé, Carneiro, Serrinha, Camarguinho e Pinho - Coleção: Luiz Camargo
Campos de talentos
Time dos externos – S. C. Tamandaré, 1917 - Coleção: monsenhor Jamil Abibe
Itu e os primórdios do futebol no Brasil
Na final contra o Santos, a vibração dos jogadores ao vencer nos pênaltis - Miguel Schincariol/Divulgação
É bicampeão!
Cartas 90
Cartas
fontes-consultadas
Fontes consultadas