Caminhando pela história por João José “Tucano” da Silva

01 – Pátio interno do Regimento Deodoro. Soldados da BCR – Bateria de Comando do Regimento Deodoro. Da esq. para a dir. Zé Menighini, Neves, Giannetti, que era conhecido como Mário Jacaré, e Lescano que serviram em 1971 nessa extinta Bateria – Coleção: José Menighini

02 – Campo de tiro real – linha de fogo – em Itirapina/SP em 1982. Ao lado do sargento Roveroto (primeiro à esquerda) estão os soldados Aparecido, Moretti, Cassetari e Viegas. Obuzeiro 105 mm, modelo M108, que pesava 22 toneladas, e seu tiro tinha alcance de até 11 km – Coleção: Luiz Carlos Moretti

03 – Neste registro fotográfico da Bateria de Comando do 2º Grupo (BC 2), do início da década de 70, estão alguns militares conhecidos de muitos ituanos como capitão Barreto, os tenentes Silva, Arruda e Beraldo (hoje general João Tranquilo Beraldo), os sargentos Jacintho, Silvino, Andrade e Adão, além dos cabos Soares, Fávaro, Iran e Ajáx – Coleção: sargento Emílio Jacintho Filho

04 A e 04 B – O sargento Lineo Henrique da Costa e o coronel Gilberto Hugo Teixeira, ambos egressos do Regimento Deodoro,– foram agraciados, no dia 2 de fevereiro último, com a Medalha Domingos Fernandes. O prêmio foi criado pela Sociedade Amigos da Cidadede Itu (Saci) em 2010, por ocasião dos 400 anos de Itu, como forma de homenagear cidadãos que prestam relevantes serviços à cidade. Anualmente, a diretoria da entidade apresenta ao Prefeito Municipal uma lista tríplice para a escolha de um ou dois homenageados. Neste ano, o prefeito Guilherme Gazzola (PTB) escolheu os dois militares. Na foto, o sargento Lineo (esq.) recebe a medalha das mãos do presidente da Saci, Getúlio Elias Schanoski. Já na outra foto, o coronel Gilberto posa com Getúlio Elias Schanoski e com o vice-prefeito de Itu, Caio Gaiane – Fotos: Maneco Salvador

05 – O sargento Valdir Dionisio (Déo) – primeiro à esq., agachado – durante a vida inteira esteve ligado aos meios esportivos ituanos como árbitro, técnico, dirigente e chefe de delegação. Também atuou na imprensa local, inclusive como diretor do jornal Periscópio.  Foi elemento ativo nos meios sociais e religiosos da cidade, principalmente nas celebrações litúrgicas semanais na Igreja São Luiz Gonzaga (Igreja do Quartel). Era sorocabano de nascimento, mas adotou Itu/SP como sua cidade natal quando veio servir no Regimento Deodoro. Com seu jeito brincalhão e extrovertido fez grande amigos na cidade os quais guardam boas lembranças dos momentos compartilhados com ele  – Arquivo: revista Campo&Cidade

06 – Da esq. para a dir. os sargentos Jacintho, Adão, Wilson e os cabos Oliveira e Fávaro durante acampamento – Coleção: sargento Emílio Jacintho Filho

07 – Soldados integrantes da numerosa 5ª BO – Bateria de Obuses do 2º GAC-AP (2º Grupo de Artilharia de Campanha – Auto Propulsado) em traje de passeio, prontos para irem para casa em 1976. Naquela época, cabos e soldados somente podiam andar à paisana na rua com a devida permissão para uso do traje civil – Arquivo: revista Campo&Cidade

08 – Militares do 4º Regimento de Artilharia Montada (4º RAM) participaram de cerimônia religiosa celebrada na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Candelária em 11 de maio de 1930 em comemoração ao Dia das Mães e posaram para este registro fotográfico feito pelo fotógrafo Setimo Catherini – Foto: Setimo Catherini

09 – O 2º tenente Benedito Alves, depois de prestar serviço ao Exército em Minas Gerais e Rio de Janeiro, veio para Itu em fevereiro de 1937 onde criou seus oito filhos.  Aqui fincou raízes, tanto que sua família permanece até hoje na cidade. Durante a 2ª Guerra Mundial atuou como guarda de fronteira e foi tesoureiro do Quartel de Itu durante o período em que serviu nessa unidade militar até aposentar-se – Coleção: família Reis

10 – Neste registro fotográfico feito em 1984 está a família Bueno vestindo a farda verde oliva do Exército Brasileiro, liderada pelo patriarca, que era conhecido como sargento Eugênio. Da esq. para a dir. Eugênio (já como 1º tenente), Benedito Carlos, Sandra, capitão Luiz Cláudio e Wilson Roberto – Coleção: família Bueno

11 A e 11 B – Os sargentos Lineo Henrique da Costa e Wilson Conti (à dir.) sempre souberam fazer uso de outra “arma” poderosa: a máquina fotográfica, registrando momentos do dia a dia do Quartel de Itu para a posteridade. No detalhe, sargento Conti aparece clicando sua câmera durante acampamento. Antes deles, outros profissionais também executaram esse trabalho no Quartel de Itu como o sargento Mateus, cabo Silva, Kioko e Daniel Cardoso – hoje responsável por esse trabalho no 12º GAC – Grupo de Artilharia de Campanha, de Jundiaí/SP. Durante décadas, o fotógrafo Setimo Catherini esteve incumbido de realizar registros fotográficos na unidade militar ituana. Muitas das fotos do acervo do Museu do Quartel de Itu e principalmente a maioria que compõe a galeria dos ex-comandantes foram feitas pelas lentes de sua câmera lambe-lambe – Fotos coleção: família Conti

12 – O cabo ituano José Palermo (ao centro) serviu no 4º RAM – 4º Regimento de Artilharia Montada entre 1925 e 1928. Depois que deu baixa tornou-se administrador da Pedreira de Varvitos, que, naquela época, era explorada comercialmente por Salvador Cobicini. No quadro de funcionários havia nomes conhecidos dos ituanos como Arrigo Rigamonti, Gino Toschi, Antonio Denúncio, o jogador de futebol Paulino Malfa e o músico seresteiro Guilhermino Borges – Coleção: Roberto Palomo

13 – É possível visualizar as ferramentas rudimentares nas mãos dos soldados da Oficina Orgânica do Quartel de Itu no ano da Revolução Constitucionalista de 1932. Ao centro, o soldado Paes Barreto cujo filho Euclides Paes Barreto, que também foi militar, nos cedeu essa bela fotografia que faz parte da coleção de sua família – Crédito: Euclides Paes Barreto

14 – Seleção de futebol do Regimento Deodoro de 1975. Grandes craques do futebol amador e profissional de Itu e região integraram essa seleção. Da esq. para a dir. Lauro, sargento Teixeira, César, Arthur Crucello, goleiro Edvair, cabo Almeida, Moretti, Carlinhos Coan, cabo Zé Luiz e o técnico tenente Martinez; agachados Martelli, Ademar, Oswaldinho, cabo Eduardo (Bilo), cabo Adalberto, Tavernari, Merlim e Chú Guarnieri. O jogo foi contra o Ferroviário Atlético Ituano (FAI – amador) no campo do Quartel. A seleção venceu por 1 a 0,  gol de falta marcado por Oswaldinho (com a bola), que, gentilmente, nos enviou a foto – Coleção: Oswaldo Lima Júnior

15 – Momento de descanso durante marcha de 48 km em 1986 realizada pela 11ª Bateria Antiaérea. Na foto estão (da esq. p/ a dir.) o cabo Pletes, Bérgamo, sargento Almir, Célio Francischinelli, Gerson e, ao fundo, Valdir e Gavioli – Coleção: Adelino Célio Francischinelli

16 – Em 1985 o Porta Bandeira do Regimento Deodoro era 2º tenente Guerra. O militar formado pelo CPOR – Centro de Preparação de Oficiais da Reserva – chegou em Itu no dia 29 de fevereiro daquele ano. Como muitos militares que passaram pelo Quartel de Itu, depois que deu baixa, Carlos Henrique de Oliveira Guerra fixou residência, constituiu família e provavelmente não irá embora tão cedo desta cidade – Coleção: Carlos Henrique de Oliveira Guerra

17 – O ituano João Baptista Santa Rosa, que aparece no cartão de lembrança do 4º RAM – 4º Regimento de Artilharia Montada de Itu, aos 21 anos integrou a FEB – Força Expedicionária Brasileira – durante a 2ª Guerra Mundial, em 1944. Santa Rosa lutou pela liberdade e democracia em solo italiano ao lado de outros quatro companheiros militares que serviam no Quartel de Itu: Argemiro Bicudo de Almeida, Américo Gomes da Costa, Duílio Scalise, que era conhecido como tenente Scalise, e Valdemar Pinto Rodrigues – Coleção: José Carlos Santa Rosa

18 – Juramento à bandeira, no dia 25 de maio de 1959. Neste registro fotográfico estão o aspirante Rui (ao centro) e, da esq. p/ dir., os cabos Honório, Reis, Martins, Euclides Paes Barreto e Nicolau – Coleção: Euclides Paes Barreto

19 – Soldados integrantes da Qualificação Militar de Comunicações Fio em julho de 1977. Da esq. para a dir. Luís, José Roberto Venturine (conhecido com Zé Cláudio), Amauri, Angarten e Chico, em pé; sentados Claudemir, Ribas, Alcir, Carvalho e Jaime – Coleção: José Roberto Venturini

20 – Militares integrantes da 4ª BO – 4ª Bateria de Obuses, de 1976. Em pé, da esq. para a dir., Edson Italiani, Ambiel, Camargo, Sargento Anatalino, Cláudio e Dimas; agachados cabo Brisotti, Gatto, Lopes, Marco Preto e Jorge – Coleção: Edson Italiani

21 – Blindado M-113. Da esquerda para a direita estão Edson Italiani, Tenente Pereira Leite, cabo Bianchi e cabo Ambiel, todos da 4ª BO – Coleção: Edson Italiani

22 – Tiro real em Itapetininga/SP. Neste registro fotográfico estão os tenentes Geraldo e Macario, o sub-tenente Carvalho, os sargentos Fariello, Wainer, Reis e Bernal, os cabos Juvenal e Alcindo. Também aparece na foto o soldado Wilson, hoje, vereador Wilson da Farmácia, na segunda fila, em pé, segundo da esq. p/ a dir. – Coleção: Wainer de Oliveira

23 – Ano de 1968. Alunos do CPOR – Centro de Preparação de Oficiais da Reserva – em treinamento na Fazenda Pimenta, em Indaiatuba/SP. Entre eles, o ituano José Carlos Santa Rosa, sétimo, na última fila, ao fundo – Coleção: José Carlos Santa Rosa



Leia outras matérias

Para se tornar militar
Além do quartel
Armas, Quadros e Serviços do Exército
O Quartel e a comunidade