Cavalgada é tradição na manhã de domingo

Centenas de ituanos saíram às ruas para prestigiar o desfile e lembrar das raízes rurais

Frederico Gazzola

Ao barulho dos cascos dos cavalos batendo no asfalto das vias centrais da cidade, foi realizada na manhã do dia 9 de maio, penúltimo dia da Festa do Peão, uma das maiores cavalgadas já promovidas pelo Clube de Ródio Unidos de Itu nas catorze edições da festa. Peões, tropeiros e amantes do estilo “country”, mantendo a tradição, compareceram em frente ao Cat/Sesi e fizeram um dos mais belos desfiles já vistos. Centenas de ituanos saíram às ruas para prestigiar o desfile e lembrar das raízes rurais, hoje orgulho do provo interiorano.

Gente de diversas idades, classes sociais e localidades, como as cidades paulistas de Santo André, Itapira, Maristela, São Bernardo do Campo e ata de Catiguá, no Paraná, se juntaram e celebraram um momento único durante os quatro dias da Festa do Peão.

Com cavalos das cores mais diversas, desde o branco até o negro, passando pelos mesclados, alguns mais adornados, outros menos, aproximadamente 800 cavaleiros partiram rumo ao Centro de Eventos “José Gandini”, o Itusão, percorrendo todo o centro da cidade.

No trajeto, que incluiu as ruas Convenção, Capitão Fleming, Floriano Peixoto, Praça Gaspar Ricardo e Avenida da Saudade, cavalheiros e amazonas foram observados de perto por moradores, que aplaudiam a habilidade dos cavalheiros e a beleza dos animais.

Beleza premiada

Na avenida da Saudade, diretores do Clube de Rodeio e o seu presidente, Fernando Bicudo, aguardavam em um palanque a chegada da cavalgada, que durante quase duas horas percorreu as ruas da cidade. Quando começaram a chegar, vários cavalheiros receberam troféus pela beleza de seus animais. Outros foram homenageados pela tradição em participar da cavalgada, como Roldon Ferreira, o conhecido Baiano, que há vários anos está presente no desfile.

No total, foram distribuídos mais de vinte troféus, entregues ao som dos narradores Claudinho Silveira e Tony Morgado.

Entre os premiados, destacaram-se também Zezé Enfermeiro, Zé Caninha, as cocheiras e Ferradura de Ouro e Rio da Prata, a Associação dos Romeiros de Itu, o conhecido Herculano Castilho Passos, 3 Berranteiros, a Cocheira do Neco, Cocheira 3R, Cocheira Rancho Boa Vista, Cocheira Laredo, Haras Lua Nova, Haras Itaguaçu, Haras 4 Irmãos, Marcão Scarpa, Zico Puaia, e algumas comitivas de outras cidades que abrilhantaram o desfile, como a Comitiva de Itapira, Comitiva de Maristela, Comitiva João Tick, de Catiguá, no Paraná, Comitiva West Country, Haras Cuca, de Santo André, Comitiva Brigadeiro, de Ourinhos, Comitiva de Itapira, e Comitiva de São Bernardo, cujo representante, o cavalheiro Gilmar, realizou uma bela apresentação com seu cavalo Lero-Lero.

No final, quando todos os cavalheiros já haviam recebido troféus, o conhecido Baiano também fez uma exibição de gala com seu cavalo, deixando o público presente ansioso pela festa de 2000 e já com saudade do evento que aconteceu este ano.



Leia outras matérias

Mulheres ganham espaço nas arenas
O desafio das montarias sem sedém
Normas para rodeios resguardam o espetáculo
Daniel, o romântico galã dos rodeios