Dia do Plantio de Árvores

Por lei, o dia 27 de fevereiro é data de plantar árvores nativas em Itu

Em 2008, a Prefeitura de Itu, por meio do projeto “Itu pela Vida – Plante Essa Idéia” desenvolveu na cidade um megaplantio de mudas. Em apenas uma hora foram plantadas 30.550 mudas, sendo 14.500 no Distrito Pirapitingui e 16.050 no terreno próximo ao Regimento Deodoro. A iniciativa teve o apoio de empresas, associações e escolas, e contou com a participação de 10 mil voluntários. Para o mega plantio, ambas as áreas receberam toda a infra-estrutura agronômica e florestal com capina, poda, adubação, colocação de calcário, feitura dos berçários, linhas de plantio com 3 metros entre uma e outra e 1,5 metro entre as covas.

No ano de 2008, a Prefeitura de Itu plantou mais de 30 mil mudas em apenas uma hora, através do mega plantio – Tucano

O evento inspirou a criação do “Dia Estadual e Municipal do Plantio de Árvores Nativas”, que foi instituído em Itu por meio de lei municipal criada pelo então prefeito Herculano Passos (PSD) e no Estado de São Paulo, por meio de lei criada pela deputada estadual Rita Passos (PSD).

Anualmente, no dia 27 de fevereiro, árvores nativas e frutíferas são plantadas em diversos pontos da cidade envolvendo alunos de escolas municipais, rurais, associações e moradores de bairros ituanos, funcionários públicos e da iniciativa privada e membros da sociedade civil em geral.

A administração atual contabiliza que entre 2013 e 2014 foram plantadas 32.660 mudas de árvores no município, distribuídas nos seguintes locais: Jardim Mayard, Bairro São Luiz, Parque América, Residencial Itaim, Residencial Potiguara, Jardim Paraiso I, Vila Lucinda, Santa Inês, ETEC Martinho Di Ciero, Fazenda Paraíso, Fazenda Tietê, Residencial São Camilo, Avenida das Monções Área verde – Rancho Grande, Parque Almeida Júnior, Sítio Marchi, Jardim Europa, Jardim União, Jardim Novo Mundo, Bacia do Córrego Tapera Grande, Cedeme (Centro Desenvolvimento Portador Deficiência Mental Itu) e áreas rurais particulares (chácaras e sítios).

Corte indesejado

Em julho deste ano a Prefeitura de Itu cortou as árvores plantadas nas calçadas localizadas entre as ruas Custódio Pinto Sampaio Neto e Antônio Corazza, nos arredores da Escola Municipal Firmino Octavio do Espírito Santo Junior, no Jardim Corazza. Indignados, os moradores pintaram no asfalto da rua frases como “cadê a sombra” e questionam sobre os buracos que ficaram nas calçadas e impediam o tráfego de pedestres.

Os moradores do Jardim Corazza se revoltaram com a retirada das árvores pela Prefeitura – José Fernando de Souza/Staff News

De acordo com a Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Itu, a escola Firmino está sendo atendida por um projeto de acessibilidade, que inclui a readequação das calçadas e a substituição da antiga rampa por outra com piso apropriado às pessoas portadoras de deficiência e/ou com mobilidade reduzida.

Segundo a assessoria, a Justiça Eleitoral, por meio de ofício, orientou a Prefeitura sobre obrigatoriedade de adaptar o acesso da escola às necessidades dos portadores de deficiência, baseando-se nos termos do art. 21, parágrafo único do Decreto Federal nº 5296/04.

No lugar das árvores retiradas foram plantadas mudas de ipê-amarelo cascudo – Tucano

A Prefeitura de Itu informou que a remoção foi realizada após relatório de engenheiro agrônomo, constando que as espécies possuíam raízes inadequadas para passeios públicos.

As supressões autorizadas foram apenas de espécies exóticas. As árvores retiradas foram substituídas por mudas de ipê-amarelo cascudo, espécie nativa de médio porte e de raízes pouco agressivas.

Regina Lonardi



Leia outras matérias

Tratar antes de descartar
Crise hídrica afeta o Brasil
Cartas
Um acordo pelo ambiente