Caminhando pela história por João José “Tucano” da Silva

Vista interna da igreja Matriz antes da retirada do piso hidráulico para a colocação de piso de madeira, fato que na época gerou grande polêmica. O piso hidráulico havia sido assentado em 1917, conforme mostra o detalhe – Fotos: Tucano

Vista interna da igreja Matriz antes da retirada do piso hidráulico para a colocação de piso de madeira, fato que na época gerou grande polêmica. O piso hidráulico havia sido assentado em 1917, conforme mostra o detalhe – Fotos: Tucano

O público presente à cerimônia de entrega da primeira fase de restauro da Igreja Matriz Nossa Senhora da Candelária, no dia 28 de fevereiro de 2016, pode ver o esplendor da capela-mor. Na foto, o quarteto do Coral Vozes de Itu, sob a regência do maestro Luís Roberto de Francisco (5º à direita) – Prefeitura da Estância Turística de Itu

A cantora italiana Mafalda Minnozzi tem “cadeira cativa” na Festa Italiana de Itu, pois tem sido uma das assíduas atrações musicais desde do primeiro evento em 2002. Na foto, ela aparece lendo exemplar da revista Campo&Cidade que abordou a história do “Polo Ceramista Ituano”, edição nº 34, publicada em 2004 – Tucano

Momento em que o quadro do nascimento de Jesus, de autoria do frei carmelita Jesuíno do Monte Carmelo, foi fixado na parede da capela-mor após restauro – Tucano

A barraca do pastel é uma das mais procuradas pelos frequentadores da Festa Italiana de Itu. Registro fotográfico de uma das primeiras festas – Tucano

Engenheiro Jair de Oliveira (à dir.) e o vereador Olavo Volpato (PMDB) durante uma das primeiras festas, quando as barracas ocupavam toda extensão da Rua Barão do Itaim e inclusive na travessa Rua Monsenhor Monteiro, ao lado da Casa do Barão, era instalada área de alimentação. Jair de Oliveira participou da fase inicial de restauração da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Candelária – Tucano

Na festa de 2011, Luiz Marino (Zinho do Violão) cantou ao lado de Fred Rovella – Tucano

Neste ano, quem também subiu ao palco a convite de Rovella foi o ituano Amiraldo Tanucci, popular Zé do Pito, que dançou a valer durante apresentação do veterano cantor de música italiana – Tucano

Tatângelo, acompanhado de seu bandolin, subiu ao palco para dar uma “canja” durante o show do cantor Fred Rovella na 15ª Festa Italiana de Itu. O músico saltense foi bastante aplaudido – Tucano

A família Maeda sempre prestigiou e muito tem colaborado na realização da Festa Italiana de Itu. Na foto está o casal Clarice e Taneyoshi Maeda, mais conhecido por André, ao lados dos filhos (da esq. para a dir.) Tatiana, Henrique e Fernando – Tucano

O casal Judite e José Franchischinelli Filho foi uma das poucas famílias descendentes de italianos que permaneceram residindo no Bairro do Jacuhú. Hoje seus filhos ainda mantém ligação com o bairro, trabalhando e criando animais no Sítio Santo Antonio, de propriedade da família, sendo que dois deles moram no local. Este registro fotográfico foi feito durante o encontro das famílias italianas realizado na Capela Sagrado Coração de Jesus, no Bairro do Jacuhú, em 2005 – Coleção: Roberto Francischinelli

A primeira intervenção feita no final de 2001 na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Candelária foi no telhado. As 42 mil telhas francesas, importadas de Marselha há mais de cem anos, foram retiradas e lavadas uma por uma e recolocadas – Tucano

A festa Italiana de Itu possui caráter tipicamente familiar. Várias famílias ituanas e da região se reúnem para saborear pratos típicos, curtir boa música e também rever amigos – Fotos: Tucano

A festa Italiana de Itu possui caráter tipicamente familiar. Várias famílias ituanas e da região se reúnem para saborear pratos típicos, curtir boa música e também rever amigos – Fotos: Tucano

A festa Italiana de Itu possui caráter tipicamente familiar. Várias famílias ituanas e da região se reúnem para saborear pratos típicos, curtir boa música e também rever amigos – Fotos: Tucano

Itu teve festa italiana sem a participação da Igreja Antes da comunidade católica da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Candelária se envolver com a organização da Festa Italiana de Itu, a cidade já havia tido três festas do gênero. Segundo o representante consular da Itália em Itu/SP, Andrea Ruggeri, a primeira Festa da Comunidade Italiana em Itu aconteceu em 1998, tendo sido organizada pelo Centro de Imigração Italiana, Círculo Italiano e Patronato Sias (Serviço Italiano de Assistência Social). A festa surgiu a partir das solenidades de formatura dos cursos de idioma italiano que chegaram a atender até 2 mil alunos por ano, entre crianças e adultos. A primeira festa foi no Ituano Clube, teve show de Mafalda Minnozzi e Paul Ricci, e atraiu um público de 3,5 mil pessoas em três dias, o qual pode ver de perto a Ferrari do então piloto alemão de Fórmula 1 Michael Schumacher. A festa se repetiu nos anos seguintes com eventos compartilhados entre Círculo Italiano, Fazenda do Chocolate e o antigo shopping Boulevard, além de outros locais que também chegaram a receber exposições fotográficas e palestras, como o quartel. Em 2002, na primeira Festa Italiana de Itu, organizada já pela Igreja, quando a família Ferrarini foi homenageada no salão paroquial da Matriz, foi feito este registro fotográfico. Da esquerda para a direita, Andrea Ruggeri, o jornalista Tucano, Monsenhor Camilo Ferrarini, Corinto Arruda e Eudes Ferrarini. – Coleção Milva Regina Guarnieri Savi

A ituana Maria de Fátima Boni Oliveira (na foto com seu marido Edson) acaba de ter um conto selecionado no 1º Concurso Literário Brasil-Itália. Promovido pelo Comites/SP (Comitato degli Italiani all´Estero) e pela Rebra (Rede de Escritoras Brasileiras) o concurso selecionou 30 contos para uma antologia com o tema “A imigração italiana no Brasil”. A obra será lançada em setembro deste ano, simultaneamente no Brasil e na Itália. Além dela foram contempladas mais 29 mulheres: duas da Itália, uma da Grécia e 27 do Brasil. O conto de Maria de Fátima, intitulado “Na barra do saiote”, retrata um fato vivido por sua bisavó, que, chegando a Itu em 1888, sem conhecer o idioma nem os costumes do Brasil, usou uma surpreendente artimanha para guardar suas economias trazidas da Itália. O hábito de escrever sobre suas origens já é tradição na família. Em 2010, a filha de Maria de Fátima, Denise, venceu um concurso literário da Juventude Vêneta Brasileira e ganhou uma viagem à Itália. Meses depois, seu marido, Edson Carlos de Oliveira, registrou a história da família Lunardon em um livro, lançado em 2013 em Itu e, em 2014, em Bassano del Grappa (lugar de origem da família) e em Veneza, na Itália. – Coleção Edson Carlos de Oliveira



Leia outras matérias

13 - DSC_0222
Festa Italiana e a restauração da Matriz
02 - DSC_0723
Idealismo e força de vontade
05 - Centro
Festa Ítalo-Saltense
05 - Menino morto
Imigrantes e refugiados, passado e presente