Festival cultural e gastronômico

Antônio Prado/RS anuncia a maior festa italiana do Brasil

São Paulo é mundialmente conhecida por possuir uma das maiores comunidades italianas fora da Itália e ser palco das mais tradicionais festas de rua italianas do Brasil, mas a maior festa italiana do País acontecerá no próximo mês de agosto na pequena Antônio Prado/RS. É o que anuncia a Câmara de Dirigentes Lojistas da cidade gaúcha, promotora da 36ª edição da festa. Criado em 1981, o evento nasceu com a “intenção de reproduzir da forma mais fiel possível os costumes dos imigrantes italianos que chegaram à região há mais de 140 anos”, dizem os organizadores.

Na edição de 2015 foi lançado o 4º Festival Nacional da Massa (FenaMassa), com o propósito de desenvolver a cultura gastronômica de imigrantes italianos e seus descendentes, bem como a agricultura familiar e a agroindústria. Na ocasião, o governador do Estado, José Ivo Sartori (PMDB), destacou que “o evento representa a produção das famílias, a força da agroindústria e a riqueza cultural passada de geração em geração. Com união, trabalho em equipe e convivência é que se alcançam bons resultados”.

Antônio Prado, situada na Serra Gaúcha, integra a região de uva e vinho, e faz parte da rota turística Vales da Serra, que contempla os municípios de Antônio Prado, Flores da Cunha, Caxias do Sul, Nova Pádua, Nova Roma do Sul e São Marcos. O município surgiu de uma colônia de imigrantes criada em 1886, a sexta e última das chamadas “antigas colônias da imigração italiana”, e recebeu o nome em homenagem a Antônio da Silva Prado, fazendeiro paulista que, como Ministro da Agricultura do Império, promoveu a vinda dos imigrantes italianos ao Brasil e a instalação de núcleos coloniais no Rio Grande do Sul.

Ponto de encontro

Hoje, com pouco mais de 13 mil habitantes, segundo estimativa do IBGE em 2015, Antônio Prado é conhecida como “a cidade mais italiana do Brasil”. Reúne 48 edificações tombadas em 1989 pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e preserva o patrimônio imaterial por meio da gastronomia, dialeto, artesanato, religiosidade e o modo de viver. Em 1993, a gravação do filme “O Quatrilho” no município o concedeu prestigio, projeção na mídia, além de alavancar o turismo. Favoreceu também a aprovação da comunidade, que passou a ver com outros olhos o rico patrimônio tombado, único no Brasil.

Existem muitas colônias italianas espalhadas pelo Brasil e elas também preservam e celebram essas tradições. A maioria está situada no Sul do País e no Estado de São Paulo e é por isso que a grande maioria das festas italianas é realizada nessas regiões.

Na opinião do ator Vicentini Gomez, que atualmente vive o sapateiro Giuseppe Cavichioli na novela “Cúmplices de um resgate”, do SBT, essas festas italianas trazem a Itália para perto de descendentes como ele. “Independentemente de ser a maior ou a mais bela, nelas é possível não somente provar pratos típicos de diversas regiões da Itália e ouvir a tradicional tarantela, mas compreender a origem das tradições e a manutenção de traços culturais, além de ser ponto de encontro da comunidade italiana no Brasil”, afirma.

Gastronomia e cultura

Vicentini lembra que essas festas no Brasil mantêm alguns elementos das típicas realizadas na Itália, especialmente no que se refere à gastronomia, e que aqui podem receber diferentes denominações, embora criadas com os mesmos propósitos básicos. Ele cita alguns exemplos: Festa da Uva de Caxias do Sul/RS; Festival Colonial Italiano, em Garibaldi/RS; Festa da Colônia, Flores da Cunha/RS; Festitália de Blumenau/SC; Festa Incanto Trentino, em Nova Trento/SC; Festa da Gastronomia Italiana, em Nova Veneza/SC; Festa Trentina, em Chapecó/SC; Festa do Frango, Polenta e Vinho de Santa Felicidade, Curitiba/PR; Festa Italiana, em Petrópolis/RJ; Festa Tradicional Italiana de Belo Horizonte/MG; e Festa da Polenta, em Venda Nova do Imigrante/ES.

A Festa da Uva foi criada em 1931 e notabilizou Caxias do Sul. Três municípios emanciparam-se das terras de Caxias: Flores da Cunha, Farroupilha e São Marcos e todos eles promovem suas festas. Em Flores da Cunha, a Festa da Colônia é realizada no Distrito de Otávio Rocha há 42 anos. É um dos mais antigos e tradicionais eventos da Serra Gaúcha, cujo programa mescla gastronomia, religiosidade, esportes, visitas a pontos turísticos, apresentações artísticas e valorização do vinho, um dos principais produtos da região. A 43ª Festa acontecerá no próximo mês de julho, com patrocínio de empresas privadas, da Prefeitura Municipal de Flores da Cunha e da Associação dos Amigos de Otávio Rocha.

Tombo da Polenta

Em julho deste ano, no Bosque São Cristóvão, bairro de Santa Felicidade, Curitiba, será realizada a 33ª edição da Festa do Frango, Polenta e Vinho, a mais tradicional e representativa das festas italianas do Estado do Paraná. Do programa constam barracas de pratos típicos da comida dos imigrantes italianos – polenta com frango, risoto de frango, macarrão à bolonhesa, sala de tomate com cebola e escarola, e vinho. Uma missa no local com participação do Coral Italiano de Santa Felicidade inaugurará o evento e, durante os dias de festas, serão montadas barracas para venda de artesanato, geleias e vinhos. O programa contempla jogos e a apresentação de grupos folclóricos e bandas tocando músicas tradicionais italianas.

Venda Nova do Imigrante, na Região das Montanhas Capixabas, se tornará a Capital Estadual da Polenta no próximo mês de outubro, durante a realização da 38ª edição da Festa da Polenta, considerada a maior manifestação da cultura italiana no Estado do Espírito Santo. A expectativa é grande para assistir ao “tombo” da iguaria que dá sabor à festa, no Centro de Eventos Padre Cleto Caliman, chamado de “Polentão”. O “tombo” é a principal atração, seguindo-se nove dias de intensa programação, com jogos, música e uma grande variedade de pratos elaborados com a polenta, que é cultuada como um dos principais símbolos dos imigrantes italianos.

Partilhando sentimentos

A Festa da Polenta é realizada anualmente desde 1979, sempre no segundo fim de semana de outubro, em alusão ao aniversário de seu idealizador, Padre Cleto Caliman. As tradições culturais são abordadas em espaços especiais no cenário da festa, como a Casa da Nonna e o Paiol do Nonno, que reproduzem ambientes, costumes, artefatos e hábitos dos imigrantes. O ponto forte é a gastronomia, e na festa são servidos 3.600 quilos da iguaria.

O “Tombo da Polenta”, uma de suas atrações desde 2004, figura no Guinness Book, o livro dos recordes, como a maior polenta do mundo, com 1200 quilos do alimento preparados de uma só vez numa panela gigante, réplica ampliada das panelas comuns nas cozinhas dos imigrantes.

Segundo informações do site oficial da Festa da Polenta, uma pesquisa realizada pelo Instituto Futura em 2008 diz que se trata do quarto evento mais lembrado do Estado do Espírito Santo, só perdendo para a Festa de Nossa Senhora da Penha, a Festa de São Benedito e o Carnaval.

Os jogos, as danças, as músicas, as comidas e outros elementos culturais que integram a programação das festas não só significam descanso, prazer e alegria, mas também possuem função social ao permitir “às crianças, aos jovens, aos espectadores e atores da festa introjetar valores e normas da vida coletiva, e partilhar sentimentos coletivos”, afirma a historiadora Mary Del Priori.

Jonas Soares de Souza

O governador gaúcho José Ivo Sartori (na foto ladeado por duas jovens) prestigiou a 35ª Festa Italiana de Antônio Prado – Câmara de Dirigentes Lojistas

Programa da primeira festa em Antônio Prado/RS – Câmara de Dirigentes Lojistas

Festitália, Blumenau/SC – Divulgação

Incanto Trentino, Nova Trento/SC – Circolo Trentino di Nova Trento

Grupo de danças folclóricas Società Amici D’Italia Polesani Nel Mondo, de São João do Polêsine – Quarta Colônia/RS – Società Amici D’Italia Polesani Nel Mondo

Festa Italiana em Belo Horizonte/MG – Divulgação

O prefeito de Curitiba Gustavo Fruet (PDT) visitou a 32ª Festa do Frango e da Polenta em 2014 – Everson Ressan/ Prefeitura Curitiba

Festa da Polenta em Venda Nova do Imigrante/ES: a maior polenta do mundo – Assessoria de Comunicação/Setur

 



Leia outras matérias

04 B - DSC_0038
Uma fé muito antiga
Editorial 101
Editorial
05 - DSC_0311
O sucesso da Festa Italiana
05 - Menino morto
Imigrantes e refugiados, passado e presente