O que Itu tem de melhor

Passeios turísticos percorrem a história com diversão e tranquilidade

Além dos objetos gigantes, em Itu há muito mais para se ver. O centro histórico começa na Igreja de Nossa Senhora do Carmo, considerada um dos mais belos exemplares da arte barroca paulista, com pinturas do frei Jesuíno do Monte Carmelo. Passando pela Praça da Independência (Largo do Carmo), com sua feira de artesanato e fonte luminosa, segue-se pela Rua Barão do Itaim, onde se encontra a Casa do Barão. Nesse local se pode pesquisar na Biblioteca Edgar Carone e no rico acervo do Museu Republicano Convenção de Itu/USP, no mesmo quarteirão, que inclui documentos e iconografia até a Primeira República (1889-1930).

O casarão do Museu foi o local onde se realizou a Convenção Republicana. Possui documentos, objetos e móveis que pertenceram ao primeiro Presidente civil do Brasil, Prudente José de Moraes Barros, além de obras de arte. Oficialmente inaugurado em 18 de abril de 1923 é uma extensão do Museu Paulista e foi incorporado à Universidade de São Paulo (USP) em 1963.

Na Praça Padre Miguel, o orelhão fica em frente à secular Igreja de Nossa Senhora da Candelária, ricamente ornamentada com obras de Almeida Júnior, José Patrício da Silva Manso e frei Jesuíno, primeiro patrimônio arquitetônico histórico tombado no interior do Estado de São Paulo pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan – em 1938. Seguindo pela Rua Paula Souza, pode-se visitar o Espaço Cultural Almeida Jr. que abriga o Museu de Arte Sacra e a Biblioteca Municipal Prof. Olavo Valente de Almeida. Do outro lado da rua, num outro sobrado do século 19, construído em taipa de pilão e com a fachada revestida de azulejos portugueses, funciona o Museu da Energia. No final do quarteirão, a dica é fazer uma pausa para uma excelente refeição no Bar do Alemão, tradicional por seu filé à parmegiana. Esse empreedimento da família Steiner funciona há 108 anos em Itu.

Na Praça Padre Anchieta fica a Igreja do Bom Jesus, onde também está instalado o Santuário Nacional do Apostolado da Oração no Brasil. Nesse local foi construída pelos fundadores Domingos Fernandes e Cristóvão Diniz, em 1610, a capela original dedicada a Nossa Senhora da Candelária. Ao lado está a Fábrica São Luiz, atualmente desativada. Parte de seu prédio, hoje, constitui um espaço para festas e eventos, com o nome de Espaço Fábrica.

Já na Praça Dom Pedro I, o Cruzeiro lembra a presença dos padres franciscanos na cidade, entre os séculos 17 e 18. Ao lado direito encontra-se a Casa Imperial, imóvel particular, da família Caselli, totalmente restaurado. Seu nome remete à visita da Princesa Isabel e seu consorte Conde D’Eu, que ali se hospedaram em 1884.

Ao ar livre

Fora do centro, o Parque do Varvito merece uma visita pela singularidade de sua pedreira, considerada a mais importante formação geológica da América Latina por testemunhar as mudanças de clima e temperatura ocorridas na Terra ao longo de milhões de anos. Há outro local interessante, pitoresco e bucólico em Itu. Conservando um trecho remanescente de Mata Atlântica, a Estrada Parque se encontra à margem direita do rio Tietê. Em seu percurso há três campings, restaurantes, a Fazenda do Chocolate e a Gruta Escalada da Glória.

Não se pode deixar de visitar as fazendas históricas ituanas, entre elas, a Capoava, destaque pela qualidade dos serviços e beleza das instalações. Há ainda as fazendas Cana Verde, Santo Antonio da Bela Vista e Chácara do Rosário, entre muitas outras. Na fazenda Concórdia o Armazém do Limoeiro é uma atração à parte com sua roda de cururu e porções generosas de petiscos.

Os campings de Itu são famosos pela infraestrutura e hospitalidade que oferecem aos visitantes. Tanto na cidade quanto na zona rural as opções de hospedagem são variadas, indo de simples pousadas até hotéis de alto padrão. Também são encontrados ótimos bares e restaurantes, churrascarias e pizzarias. Agora, bom passeio! A cidade é toda sua!

Mônica Fukuda



Leia outras matérias

Itu em símbolos
Um passeio pela história
Quatrocentos anos na avenida
E o trem chegou