Pilares da preservação cultural

Edifício Bunkyo, em São Paulo, agrega entidades sócio-culturais japonesas

Um prédio de nove andares, localizado na Rua São Joaquim, Bairro da Liberdade, próximo ao centro da cidade de São Paulo/SP, abriga importantes entidades que trabalham para a preservação da cultura japonesa como a Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (Bunkyo) e o Museu Histórico da Imigração Japonesa. A primeira representa a comunidade nipo-brasileira e, a segunda, conta a trajetória dos imigrantes através de objetos, documentos e fotografias.

A Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social é proprietária de 96% da área construída do Edifício Bunkyo. A pedra fundamental foi lançada em 1958 pelo príncipe Mikasa, como parte das comemorações dos 50 anos da imigração japonesa.

Na primeira fase de construção foram erguidos quatro andares e, posteriormente, os outros cinco, totalizando 17 mil metros quadrados de construção. No final da década de 80, o prédio ganhou um anexo, com ginásio esportivo, um pequeno auditório, biblioteca e sala de exposições. Há ainda o Grande Auditório, com capacidade para 1.300 pessoas, um salão nobre e duas salas de exposições.

O prédio é mantido pelo “Condomínio Edifício Bunkyo” e, além da Associação e do Museu, nele estão sediadas, por exemplo, a Aliança Cultura Brasil-Japão (6º andar), a Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo (5º andar), a Federação das Associações de Província do Japão no Brasil (3º andar) e a Associação Brasileira de Taikô.

Representação

A Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa começou sua história em 1954, quando foi criada uma comissão para as comemorações dos 400 anos de São Paulo. Passadas as comemorações, a comissão foi mantida. Naquele momento o objetivo principal era organizar o 50º aniversário da imigração japonesa, que ocorreria no ano seguinte. Nascia a Sociedade Paulista de Cultura Japonesa.

Em 1968, seu nome foi alterado para Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa, por conta da abrangência de sua atuação. Em 2006 ocorreu uma nova alteração na nomenclatura e a sociedade recebeu a denominação atual.

Entre seus vários objetivos estão: promover atividades filantrópicas e beneficentes, preservar e divulgar a cultura japonesa, estimular ações de proteção ao meio ambiente, promover estudos e debates sobre questões sociais, políticas e econômicas, além de divulgar a cultura brasileira dentro e fora do Brasil.

Durante o ano todo, o Bunkyo mantém uma série de eventos, a maioria integrando um calendário fixo. Entre eles está o Festival Gueinosai de Música e Dança Folclórica que, desde 1966, reúne os melhores praticantes do Brasil.

Memória

O sétimo, o oitavo e o nono andares do prédio são ocupados pelo Museu Histórico da Imigração Japonesa, inaugurado em 18 de junho de 1978, como parte das comemorações do 70º aniversário da imigração. Participaram da cerimônia o então príncipe herdeiro do Japão, Akihito, e o então Presidente do Brasil, Ernesto Geisel.

Um acervo de 5 mil objetos, 28 mil documentos e 10 mil fotos conta a história da imigração. O visitante encontra no sétimo andar (o primeiro do museu) réplicas e fotos dos navios utilizados para transportar os imigrantes, além de vestimentas e utensílios. Uma das atrações é uma casa de pau-a-pique, demonstrando o estilo das moradias dos primeiros imigrantes.

No oitavo andar estão expostos documentos e objetos que contam o desenvolvimento comercial e os problemas enfrentados pela colônia no Brasil durante a 2ª Guerra Mundial – quando o Brasil se aliou ao bloco oposto ao Japão. O idioma japonês chegou a ser proibido no País.

O terceiro andar do museu (nono andar do Bunkyo) foi inaugurado em novembro de 2000. Nele o visitante encontra pinturas do artista plástico Seiji Togo, retratando os primeiros anos da imigração. Fotos e documentos contam os 50 anos do pós-guerra, além de existir uma sala para projeção de vídeos, venda de livros e discos.

Cristiane Guimarães



Leia outras matérias

Mil olhos no futuro
Editorial
Celebração do centenário
Experiência preliminar